Nada de coadjuvante, o vestido de debutante é importante na grande evento

A Festa para comemorar os 15 anos de uma jovem, começou acontecer na Europa, onde as famílias faziam o "Debut" de suas filhas.  Termo esse que significa "Estréia".
Era uma forma de mostrar que as meninas estavam se tornando mulheres.
Por convenção,para recepcionar os convidados, as meninas usavam vestidos com detalhes que remetiam a fase da vida que estavam deixando para trás. À meia noite, o traje infantil dava espaço para um lindo vestido de gala, onde a imagem de mulher iria começar a prevalecer.
O baile em si, era um pretexto para atrair possíveis pretendentes.
No Brasil, as famílias burguesas mantiveram a tradição e até hoje o evento ocorre.
Em relação a tradições e modernidades do mundo fashion, temos:

  • A troca de vestidos: tradicionalmente em 2 modelos ou a modernidade de 3 modelitos;
  • A troca de sapatos: inicialmente um baixo, bem simples, para um salto, bem elegante;
  • Há quem mantenha os costume de presentear a jovem com jóias, em geral são anéis (eu não fiz festa, mas ganhei um anel de ouro do meu tio. Tenho até hoje!);
  • Em geral, a cor da decoração influencia nas cores dos vestidos. Porém as mais modernas, seguem seus próprios padrões.

Agora vamos acompanhar a evolução dos vestidos com o passar dos anos:

Anos 20
Imagem inline 1

Anos 30
Imagem inline 2

Anos 40
Imagem inline 3

Anos 50
Imagem inline 4

Anos 60
Imagem inline 5

Anos 70
Imagem inline 6

Anos 80
Imagem inline 8

Anos 90
Imagem inline 9

Ano 2000
Imagem inline 10

Ano 2010
Imagem inline 11


Os vestidos deixaram de seguir aquele padrão de midi a longo e com calda para versões mais curtas, decotadas e transparentes.
Por questões de praticidade ou economia, muitas meninas usam um vestido 2x1. Aqueles com saias sobrepostas...
Imagem inline 12
Imagem inline 13

Antes, as cores em tons pastéis deram espaço para cores mais vibrantes e nada tradicionais...
Imagem inline 14
Imagem inline 15


Imagem inline 17

Não podemos esquecer das festas temáticas... em todos os casos, o vestuário é fabuloso!
Imagem inline 21
Imagem inline 22
Imagem inline 23
Imagem inline 24



Como Consultora de Estilo o foco de todo trabalho de orientação e busca do modelo ideal, é baseado na personalidade e no tipo físico da jovem.
Não adianta escolher um modelo deslumbrante se ele não é funcional e te deixar desconfortável a festa inteira. Ninguém deseja valorizar o que não agrada. 
Claro que a escolha é particular, mas algumas dicas podem ajudar na tarefa.
Vamos la!

Passo 1: Descobrir qual o seu tipo de corpo.
Se ainda não sabe, dê uma passadinha no artigo de biotipo que ajudo a descobrir, clicando aqui.


Passo 2: Listar tudo o que valoriza e prejudica sua imagem de acordo com o tipo de corpo.
Imagem inline 19

Além do modelo, a cor do vestido é fundamental. Se deseja saber qual a cor que combina com seu tom de pele.

*Imagens retiradas da internet

Descubra seu tom, ou subtom, de pele

Sua pele pode ser fria, quente ou neutra e de acordo com isso você saberá quais as cores de roupa e maquiagem irão favorecer.
Indico duas maneiras para tirar essa dúvida:

  1. cores de suas veias
    Olhando seu antebraço, se suas veias forem de coloração verde, você tem tom de pele quente, se for azulada ou roxas, tem tom de pele fria. Mas se não conseguir definir ou for uma mistura dessas cores, você tem tom de pele neutro.
  2. O que te favorece, dourado ou prateado?
    Pede um papel ou tecido de cor dourada e prata. Aproxime do rosto. Se o prateado deixou sua aparência mais leve, disfarçando imperfeições você é de tom frio, se isso acontecer com o dourado, você é de tom quente. Mas, pode ser que fique bem com os dois tons... então você é neutra.



Qual seu tipo de corpo?

Quer descobrir seu tipo de corpo?
É fácil... Pegue a fita métrica e meça as três medidas abaixo.


Nada de contornar o seu corpo com a fita métrica. Você vai tirar as medidas só da frente, como se você fosse um desenho plano, ok?!

Agora é só ver o resultado:

Retangular: As medidas de ombros e quadril têm, mais ou menos, as mesmas larguras - então, ombro, quadril e cintura ficam mais ou menos com as mesmas medidas.

Triangular: As medida de ombros são menores do que a medida do quadril, sendo que a silhueta aumenta gradativamente em direção à cintura.

Oval: A cintura tem medida maior que as dos ombros e do quadril. É o formato de corpo comum em quem está acima do peso, com a barriguinha bem saliente. A silhueta é arredondada.

Triângulo Invertido: A medidas de ombros e costas maiores do que as medidas do quadril. 

Ampulheta: A cintura tem uma medida bem menor que a dos ombros e os quadris que, em geral, tem medidas parecidas. 

Fazendo a limpa no armário

Essa é a arrumação dos meus calçados
Muitas pessoas acham interessante o trabalhado dos consultores de estilo/imagem/moda.
Cada indivíduo possui uma necessidade. Uns precisam de um "intensivão" completo.
Mas aí chegamos ao custo. Cada um cobra o que acha justo e você tem todo o direito de considerar caro, supérfluo...
Conheci pessoas que tinham vergonha em pedir ajuda. Quem dirá contratar um profissional para adentrar seu íntimo (diga-se armário), receber críticas e ser "obrigado" a se desfazer de muitas coisas.
Sim, é complicado.
Mas esse será um guia para você fazer tudo sozinho.
Se preferir, imprima esse artigo. Cole na porta do guarda-roupa, closet, armário, banheiro... Siga cada passo. Pode ser chato, demorado, trabalhoso, as vezes até triste, mas vai valer a pena.
Uma das premissas da moda é a frase: "Menos é mais!". E isso vale para a quantidade de coisas que você acumula.
Tem gente que acumula coisas em todas as áreas da vida. Freud explica... e óh, explica mesmo!
Mas vamos ao que interessa.

Pode retirar um dia do seu fim de semana para fazer isso? Perfeito!
Não pode, separe as seções por dia e assim você vai "melhorando" seu estilo aos poucos.

Dica 1: retire tudo do armário. Tudo, mas tudo mesmo!
Aproveite e limpe cada prateleira, gaveta e nicho. Deixe-o preparado para receber o que é essencial para a sua vida.


Parte de cima
Nesse quesito, separamos blusa, camisa, camiseta, top, body, casaco, blazer, terno, suéter, cardigã... Você entendeu né? Mas óh, por questões de organização junte os vestidos nessa leva.
Separou?
Agora experimente um a um. Veja se ainda lhe servem. Se estão usáveis (sem rasgo, botão,descosturado, desgastado, manchado, ajustado...).
Gostou do que viu?
É novo? Se vê usando em algum evento?
Já foi usado? Gostou quando usou? 
Essas perguntas serão "um norte" para você ter o bom senso entre ficar, doar ou jogar fora! Ah, hoje tem também a opção de vender. Fique ligada!
Separe em pilhas. Mas não coloque ainda no armário.

Parte de baixo
Nessa fase você vai separar saias, calças, shorts, bermudas...
De novo, vai experimentar uma a uma. Não pule essa etapa. Você precisa saber o que ainda cabe, ou que ache bonito em seu corpo.
Evite fazer isso na TPM. O estrago, para algumas, pode ser grande.
Você pode pedir opinião a alguém nessa hora. Marido, filhos, irmãos, pais e amigas.
Vista e pergunte se acham bonito, se ficou legal e tal.
Mais uma vez responda as perguntas:
Gostou do que viu?
É novo? Se vê usando em algum evento?
Já foi usado? Gostou quando usou? 
Separe o que fica, vai doar/vender e jogar fora.
Não coloque ainda no armário o que decidir ficar.


Dica 2: Agora tente fazer 5 combinações com os itens acima que você decidiu ficar. Se fez as escolhas certas, será fácil. Por exemplo: vestido com sobreposição de blusa jeans ou calça preta com camisa floral ou calça preta com blusa jeans, vestido com blusa floral e por aí vai... cada item tem que criar 5 looks diferentes.

Funcionou?
Agora sim, guarde-os!
Teve uma peça que foi difícil coordenar, deixe-a em quarentena.Você terá dois meses para conseguir usá-la. Se perceber que não rolou? Doe ou venda!


Lingerie, biquínis e pijamas
Chegamos na parte íntima.
Separe uma gaveta ou cesta para organizá-los.
A dica é manter o que ainda está em bom estado e o que cabe em você. Nada de usar aquela calcinha que de tão apertada te divide ao meio. Sabe aquele sutiã que te marca a pele, ao ponto de quase ferir? Lamento dizer mas ele não é o correto.
Existem poucas lojas especializadas em tamanhos variados de moda intima. Vale a pena investir em algo um pouco mais caro mas de forma correta.
Você não precisa de uma gaveta abarrotada de sutiã e calcinha. Precisa dos itens certos.
Faça a triagem. Sim, experimentando...

Dica 3: A cada peça que decidir que vai ficar, veja com quais roupas conseguirá usar. Assim saberá se vale a pena descartar.
Dica 4: Não é aconselhável doar peça íntima. A não ser que seja nova e nunca usada.

Roupas de ginástica 
Sempre quando falo esse termo acho ultrapassado. Mas são as roupas que você usa para praticar exercício.
Calças, bermudas, shorts, macaquinho, macacão, blusinha, camiseta... ufa, cansei! Sim, temos muitas coisas.
Preciso repetir?
Vista, veja, faças as perguntas e as combinações possíveis.

Dica 5: Se você precisar colocar muita coisa para montar seu look de malhar, algo está errado. Por exemplo: você escolhe usar a calça roxa, com o top preto e a regata branca, mas aí precisa do tapa bumbum ou um casaquinho para cobrir as partes... Muita roupa pode prejudicar o conforto e a realização da atividade. Talvez seja hora de descartar a calça q marque demais ou fique transparente. Se não quiser, escolha uma blusa maiorzinha. Mas lembre-se, as posições dos exercícios podem te prejudicar com essa roupitcha.


Calçados
Tem quem se vire com 30 a 40 itens TOTAIS no acervo (sapatos + bolsa+blusas + casaco + calça + Saia...). Mas você pode investir em roupas básicas, com pouca quantidade e variar nos calçados. Óbvio que não vai fazer igual a mim, que no auge do consumismo teve 120 pares de sapatos, mas que na verdade usava uns 20 forçando a barra.
Você pode ter um ou mil, o importante é ter bom senso. Quanto mais se tem, mais se quer e menos se usa. Pense bem!
Se o sapato te aperta? Tente as táticas para proteger o pé (Veja aqui). Não deu certo? Desapega!
Ama o sapato, mas já usou tanto que ele rasgou ou está bem velho... joga fora! Nem que seja preciso comprar outro do mesmo estilo.
Só anda de sapatilha mas comprou uns 20 sapatos de saltão? Diminua essa coleção e mantenha, apenas, o que realmente usa. Por exemplo, vale investir em uns scarpin (bapho!) preto. Você vai usar em centenas de ocasiões.
Como você é mulher e quer variar, aconselho investir em: scapin salto alto, sandália ou sapato de salto baixo ou médio, rasteira, sapatilha, tênis e chinelo.
Se você só tiver um item de cada, garanto que viverá bem. Mas não morrerá se juntar uns 2 ou 3 de estilos diferentes. Mas, por favor, passar dos 20 já complica a vida!


***Eu, hoje, estou com uns 60 calçados. Em busca de me desapegar de uns 20 para ser feliz!


Acessórios
Invista!
Aqui nós podemos considerar, jóias em geral, brincos, anéis, colares, cordões, pulseiras, relógios, coisas para o cabelo, lenços, echarpes, pashmina, chapéu, gorros/toucas, bolsas, óculos e etc.
Looks comuns podem ser incrementados com acessórios. Mas precisa saber o que combina com seu corpo, rosto e tipo de roupa que está usando.
Paras as amantes de bolsas, pegue leve. Mais vale ter uma pretinha ou marronzinha básica a entulhar o armário com as mais variadas cores. O mesmo vale para os outros acessórios.
Deixe-os visíveis para que você use-os. Eu por exemplo, esqueço de usar o que não vejo.


Maquiagem
Não gosta? Vale a pena quebrar tabus e investir em um BB cream ou CC cream. Eles disfarçam imperfeições, protegem a pele por causa do filtro solar e hidratam.
Tem pouco tempo? Base, lápis, rímel e batom
É daquelas que ama make? Se joga, mas não adianta sair comprando as coisas sem controle. Se for comprar uma sombra com cor vibrante para uma festa. Se sabe que não vai usar depois, esqueça as paletas e procure a sombra pequenininha e específica. O acúmulo e o prejuízo será menor.
De tempos em tempos é preciso fazer a limpa e olhar a validade de tudo.
Conserve seus produtos em lugares adequado.

Dica 6: Banheiro, não é o lugar ideal.


Seguindo esses passos você consegue diminuir acervo.
Mas com essa tarefa o ideal é aprender. Aprender o que cai bem em seu corpo. O que comprou desnecessariamente. Qual seu estilo de vida e estilo pessoal.
Conheça-se!

***Mesmo depois de ler, você precisa de ajuda. Entre em contato! Podemos agendar uma visita ou fazer a consultoria online!

Etiqueta na sola do sapato: in ou out?



Um dia, na hora do almoço avistei uma moça bem arrumada, em cima de seu scarpin de salto 7 cm. Se não fosse pela etiqueta branca contrastando com o solado escuro do sapato, ela ganharia uma nota 8. Não sou exigente, é que o cabelo muito platinado não combinava com seu tom de pele e a maquiagem pesada não combinavam com ambiente de trabalho.
Mas voltando ao assunto, desde nova acho vergonhoso esquecer a etiqueta em um item.
Se lembram do personagem Didi que usava terno com etiqueta aparecendo? Quando vejo alguém por aí com etiquetas em roupas, acessórios ou sapatos, essa é a imagem que me vem a cabeça.
Quando você compra uma blusa, e ao usá-la pela primeira vez arranca a tag, por que não fazer o mesmo com os sapatos?
De onde vem essa necessidade de exibir que o item é novo? Sim, já ouvi essa desculpas algumas vezes. Algumas mulheres, deixam o precinho lá só pra ostentação.
Concordo que algumas colas de etiqueta são tão ruins de tirar que acaba ficando pior, mas aqui vão algumas dicas:

  • Retire devagar e com muito cuidado para que o papel não rasgue.
  • Se ainda sim ficar cola grudada na sola ou na palminha, espalhe um pouco de óleo corporal, de cabelo ou até mesmo azeite e espere uns minutinhos. Aí é só esfregar com o dedo, paninho ou lenço umedecido.

Então, na próxima vez, retire a etiqueta. Deixe que as pessoas apreciem seu sapato pela beleza e conservação.

Dica: a lei dos 5 looks para cada item que possui

Uma das dicas que dou é que, para mantermos um item em nosso closet, ele precisa ser justificável.
Como assim?
Vou explicar!
Se eu possuo uma calça jeans, ela tem, e deve ser aproveitada em vários looks. Looks esses que se propõem a pegadas diferentes. Não adianta usar a mesma calça com camisetas regatas idênticas mas de cores distintas. O ideal é montar combinações para várias ocasiões:
Look 1: calça jeans skinny + camiseta regata branca + tênis branco + acessórios
Look 2: calça jeans skinny + blusa branca com manga comprida + scarpin azul + acessórios
Look 3: calça jeans skinny + blusa de alça de chifon preta + blazer azul + sapatilha bicolor (azul/vermelha)  + acessórios
Look 4: calça jeans skinny + bata floral + mocassim vermelho + acessórios
Look 5: calça jeans skinny + blusa gola peter pan poá + sapatilha bico fino preta + acessórios

Isso é um exemplo.  Se formos imaginar essas combinações podemos imaginar o quão diferente essa calça ficaria, a ponto de parecer que estamos usando um item diferente.
A dica é essa: para cada item que você tem em seu armário, monte 5 looks possíveis com eles e se possível tire foto. No geral você verá o que é aproveitável ou não e se precisa comprar alguma coisa.
Gostaram?

moda e você

Itens essenciais para o seu closet

Ter estilo ou definir um, é algo simples. Basta se conhecer e saber do que gosta.
Ter estilo definido e se vestir apropriadamente são duas coisas diferentes. Você pode gostar de determinadas tendências, porém saber que não ficarão bem em você. Logo, terá a escolha de não usar ou fazer com que a moda se adeque a você.
Esse é o pulo do gato. Não devemos viver para a moda e sim fazer com que ela trabalhe a nosso favor.
Antes de começarmos, vamos levar em consideração que a beleza e elegância, devem ser um reflexo do que temos por dentro. Não adianta um banho de loja e um dia de SPA, se internamente, estamos uma bagunça, abarrotados de sentimentos conflitantes, conforme um armário desorganizado.
Uma cor, uma roupa, um novo corte de cabelo podem animar uma pessoa. Mas se for um paliativo, a sensação de prazer durará pouco tempo. E o pior, agir pela emoção pode ser bem arriscado. Evite tomar decisões de mudança de look, radical, em momentos de extrema tensão.
Analise seu consumo. Comprar por impulso causa danos, e ficar presa a economia pode fazer com que pareça desleixada ou gaste mais do que economize. Por exemplo: você precisa de uma regata básica branca, para combinar com aquele jeans maravilhoso. Você tem a opção de comprar em uma loja (de marca ou não) que o produto é de boa qualidade, mas custa o dobro de uma loja mais popular. Porém a qualidade dos itens é proporcional ao seu preço.  Por isso, fique atenta ao custo benefício. Esse ponto é muito importante para as bolsas. Uma bolsa boa e, eventualmente, mais cara evitará gastos periódicos.
Óbvio que mulheres enjoam com frequência do que possui e para isso tenho duas dicas:

Dica 1: Invista em itens básicos. Evite tendências de estação, principalmente muitas estampas e cores. Compre se necessário, ou se estiver com grana sobrando. Se a coisa está apertada, fique no básico. Não tem erro!
Dica 2: Desapegue! Separe o que não usa mais e faça moeda de troca. Troque com amigas, venda em bazares... O que achar melhor. Faça o “prejuízo” ser menor.
Não há uma fórmula mágica para quantas peças deveremos ter no armário, mas podemos listar os principais itens a investir:

  • Calça jeans
  • Vestido preto coringa
  • Vestido casual
  • Camisa Branca
  • Calça alfaiataria
  • Blazer/Terninho/Jaqueta (alfaiataria, jeans ou couro)
  • Saia
  • Short/Bermuda
  • Camiseta/Regata
  • Suéter/Cardigans
  • Sapatilha/ Slipper
  • Tênis
  • Rasteira
  • Sandália de salto
  • Scarpin
  • Bolsa básica
  • Clutch ou bolsa pequena
  • Biquíni
  • Acessórios (colar, anel, relógio...)
  • Óculos de sol
Lembrando que essa é uma base e que vai variar com estilo, gosto e preferência de cada um.
Que comece a festa!